2014 | Patricia Gouvêa, artista visual que trabalha com fotografia, vídeo, instalação e intervenção urbana

Imagem

Patricia Gouvêa é uma das convidadas da 2ª edição do Pequeno Encontro da Fotografia. Artista visual que trabalha com fotografia, vídeo, instalação e intervenção urbana, seu trabalho prioriza a fotografia e a imagem em movimento e suas possíveis interfaces, onde a noção de tempo constitui um dos principais eixos de pesquisa.

No evento, será uma das responsáveis pela atividade de leitura de portfólios, na manhã da quarta-feira, 21 de maio; além de uma palestra sobre Fotografia e tempo como pesquisa artística, na quinta-feira, 22, a partir das 19h.

Confira entrevista que Patricia deu ao Pequeno Encontro da Fotografia.

– Há quantos anos atua na fotografia?
Como espectadora diletante desde 1993, profissionalmente desde 1995.

– Já veio a Pernambuco? Participar de eventos de fotografia? Quando e quais eventos?
Ainda não, estou muito feliz com o convite.

– Qual a expectativa em relação ao Pequeno Encontro da Fotografia e a atividade para o qual foi convidada?
Será uma ótima oportunidade para conversar com o público sobre minha pesquisa e meus dois livros editados, “Membranas de Luz: os tempos na imagem contemporânea” e “Imagens Posteriores”. Como foram lançados por editoras pequenas, são nestas oportunidades que podemos levar as indagações que geraram os trabalhos para o público Brasil afora, como já fiz em Belém, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília. Ler portfólios também é uma prática que sempre gostei muito, a gente descobre coisas incríveis sendo feitas. Convidei algumas destas “descobertas” nas leituras que participei para expor na Galeria do Ateliê da Imagem, quando estava à frente da instituição. E quando posso, sempre submeto meu trabalho em leituras também, informais com amigos ou oficiais em eventos como este.

– Para você, como um evento dessa natureza ajuda na divulgação e ampliação da cadeia produtiva da fotografia?
Para mim fotografia é matéria de pensamento. Um encontro que privilegia o debate é importante para formar novas cabeças que irão usar a fotografia como pesquisa, e também promover a troca entre autores e pesquisadores que se encontram separados fisicamente neste enorme Brasil.

– Um trabalho importante na carreira
Banco de Tempo, feito em parceria com a artista Isabel Löfgren. Foi quando meu trabalho passou a incorporar intervenção urbana. E foi fruto de uma espécie de residência de quase 1 ano no Jardim do Museu da República, um local que eu frequentava antes. Em outubro deste ano iremos lançar o livro, que é uma obra em si e não apenas a documentação da pesquisa e exposição. Para conhecer: http://patriciagouvea.com/Banco-de-Tempo

– Mensagem ao público de Pernambuco interessado em conhecer o seu trabalho no evento
Gostaria de convidar todos os interessados em discutir meu processo de trabalho e as perguntas que me fiz ao longo do percurso. Mais do que certezas, estou interessada em hipóteses de pensamento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s